os momentos despendidos aqui são de reconciliação com a vida

quarta-feira, 31 de março de 2010

Poema do dia 31 de março de 2010

Poupas-me da aspereza do mundo
E da tua aspereza também.

***

Estou recebendo notícias desgraçantes neste momento.
O tempo não existe.
Para quê poupas-me então?

***

Sentado no parapeito da janela
Observo passar a  procissão
Na mal-iluminada rua de paralelepípedos.
Todos estão de pijamas
E levando velas acesas nos castiçais.

***

Quero menos intangibilidade.
Menos misericórdia e mimo.
Não quero me sentir poupado e passivo frente às desgraças mundanas
Muito menos frente às minhas próprias desgraças.
TergiVERSO para o infinito.

3 comentários:

  1. Eu quero mais erosão
    Menos granito...

    ResponderExcluir
  2. li e descobri que já havia um poste meu aqui de abril. descobri que re-lia. ou seja: seu poema me conquistou!

    ResponderExcluir