os momentos despendidos aqui são de reconciliação com a vida

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Primeiro parecer

Aos amigos:

"Eu bradei: viva a amizade! e eles me acompanharam.
Eles bradaram: viva a poesia! e eu os acompanhei."

Ao blog:

Falsas distâncias

Que este seja o espaço de toda a expressão,
Seja prosa poesia diversão,
Seja debate filosofia crônica digressão,
Métrica livre verso decassílabo,
Desde que venha, isso em caráter afimativo e irrevogável, a encurtar estas falsas distâncias.

Distâncias criadas
Por um mundo que une e separa sem espaço para choro, nem vela.
Joga um aqui, outro acolá,
Até morando na mesma cidade!

Que este seja, portanto, o encontro,
Mas sem substituir o encontro.
Que este seja o encontro casual!
Mas que seja também o encontro certo, no limiar entre a realidade e o mundo das idéias.

Que seja também o espaço das citações, trechos, epígrafes, paráfrases,
Das propostas, dos desafios poéticos ou não, da palavra coletiva,
Das indicações de discos, filmes, livros,
E de tudo que nos sempre nos uniu, e nos unirá.
Que seja bem-humorado!
E acima de tudo, que seja LIVRE.

Livre de preocupações, perturbações,
Dos excessos de nossas rotinas,
Dos nossos desgastes físicos e mentais,
Sentimentos mesquinhos,
Livre da sociedade em que somos números, máquinas, consumidores e contribuintes,
Das pessoas que não sabem sonhar
E que não deixam os outros sonharem,
Livre, pra ser o que quiser, sem nenhum empecilho.

Nessa utopia errante,
Quem for amigo, pode chegar.
Pois os momentos despendidos aqui
São de reconciliação com a vida.

Um comentário:

  1. distâncias brindadas com poesia são as menores do mundo.

    ResponderExcluir